Foi muito perto deste Estádio que a minha infância foi promovida a adolescência, as redes originais das balizas eram cor de laranja quando da sumptuosa  inauguração onde o Gomes Ferreira,  jogador da CUF, marcou o primeiro golo. Naquele tempo o projecto era mais ambicioso,  seria um dos maiores e mais bem apetrechados complexos desportivos do país, patrocinado pela Companhia União Fabril do Barreiro. Nem vale a pena perder tempo a tentar explicar a razão porque apenas se construiu  um estádio, um pavilhão e alguns campos para treino de futebol, porque o que interessa hoje, no dia em que O Rei Eusébio nos deixou fisicamente, é a coincidência de estar marcado para o Estádio Alfredo da Silva um derby local, um Fabril vs Barreirense que trouxe ao estádio apreciável numero de espectadores que puderam "matar saudades" dos tempos em que um desafio como este fazia "parar" a "Vila".
Eu, hoje, vim para tirar umas fotos, sabendo que iria revisitar memórias doces de outros tempos. Encontrei  muita gente conhecida de sempre, caras que não via à muito tempo que me transportaram para uma confortável  "idade de ouro" da minha vida, o tempo das jogatanas entre os eucaliptos do Bairro Novo da CUF.
Fiz questão de dar a volta ao estádio, fazendo o percurso pela parte superior das bancadas procurando motivos "para olhar". Estou a chegar ao topo sul quando, a única pessoa sentada nesse sector , na última fila, me chama com um: Amigo chegue lá aqui se faz favor. Imediatamente me aproximei reconhecendo alguém com quem me tinha cruzado momentos antes no lado oposto do recinto, um homem com alguma idade, de cabelo branco e bigode.
Então o amigo é "daqui", lançou ele num misto de afirmação e questão, ao que respondi afirmativamente iniciando um diálogo que me levou a perguntar mais à frente o nome do meu interlocutor. Era a pergunta que ele esperava. Eu sou o Capitão Mor, disse com orgulho, Sou um daqueles que ali em baixo no relvado deu três secos ao Benfica. Fiquei emocionado, conhecia o garboso ponta de lança, mais tarde chefe de vendas numa conhecida marca automóvel e aquela pessoa que se apresentou a um anónimo como eu, alegrou-me um pouco o dia a mim assim como o meu conhecimento e memória da sua carreira provavelmente lhe terão dado algum calor também.

L.F.L.