Viver no Barreiro é percorrer o estuário dos rios Tejo e Coina por entre azúis de água e céu e terras de gente que tem na existência um peculiar carinho pela vida solidária.

artbarreiro

Queremos divulgar o Barreiro e as pessoas que de algum modo vão acrescentando malhas à rede da imortalidade, gente que teve ou tem como palco temporal a margem esquerda do Tejo com Lisboa à vista, pessoas para quem o tempo útil foi de uma permanente comunicação e entrega, pessoas que nos vão deixando páginas de memória que de algum modo formatam o caminho que percorremos nunca esquecendo que houve gente anónima que, nos bastidores, participou silenciosamente na construção da vida coletiva.

Estamos no presente construindo o futuro da memória, divulgando aquilo que em nossa opinião possa incrementar o conhecimento. A nossa parte foi neste tempo e neste lugar, nascemos e crescemos com o desenvolvimento industrial e por isso respirámos durante quarenta anos o gasoso progresso criador do estigma da vila do fumo e da cinza que, apesar de o ter deixado de ser à muito, ainda nos persegue como uma anedota mal contada. É o Barreiro, terra de pioneiros e primeiras figuras; acolhedora de trabalhadores à procura de sustento; protagonista na revolução industrial; gente que "cultivou" a terra e o rio; berço de sensibilidades artísticas de topo e valorosos construtores da memória bastante apreciados depois de mortos.

Luís Ferreira da Luz

2016